Patient EV-136, de M.J. Lima - Sinopse & Opinião [Chiado Editora]

março 17, 2016

Patient EV-136
Título: Patient EV-136
Autora: M.J. Lima
Ilustrador: Patrick Caetano
Editora: Chiado Editora
Ano de Publicação: 2015
Número de Páginas: 54

Beatrix wakes up in a mortuary with no memory.
There is only a clue:
EV-136.
Between strange symptoms and flashes of lost memories, she feels that she is carrying a greater secret.
And her fate... inevitable!

**************

Sempre gostei de banda desenhada. Apesar de a que eu costumava ler ser muito diferente desta escrita por M.J. Lima, a verdade é que este tipo de mundos nas BD's começa a fascinar-me cada vez mais e Patient EV-136 pareceu-me bastante interessante e prometedor.

Primeiro, a história: apesar de ser um bocadinho previsível, esperava mesmo que fosse mais desenvolvida. Fica tudo tão em suspenso que senti uma ligeira raiva quando o livro acabou. Estou ansiosa para saber mais sobre Beatrix, quem ela é, o porquê de ser especial, tudo. O desenrolar da narrativa acumula bastante tensão no leitor, que viaja entre o presente atribulado de Beatrix e as suas memórias, para acabar de uma forma bastante... frustrante, ao Beatrix se aperceber que é, de facto, especial.
Segundo, as ilustrações: o que seria de uma BD, se não fossem as ilustrações fantásticas? Por vezes a história até pode nem interessar, por vezes nem há história, e as ilustrações conseguem fascinar-nos e prender-nos página após página. E apesar de eu nem sempre ter sido fã das ilustrações demasiado "reais", sempre preferindo as mais díspares da realidade, a verdade é que Patrick Caetano fez um trabalho excelente neste livro.

Esta primeira parte, Rebirth - renascer - é precisamente sobre o acordar de Beatrix, e da forma como a personagem se apercebe quem é e como funcionam verdadeiramente as coisas à sua volta. A segunda parte, Metamorphosis - metamorfose - promete revelações interessantes... que metamorfose estamos à espera?
Há ainda algo que gostava de salientar: no início do livro são apresentadas as personagens, e Karolina é uma delas. Adorei a sua descrição e quando descobri o seu papel na história, não pude deixar de me rir com a sua "importância".

Não adorei o livro pois a história deixou-me um bocado desapontada... no sentido em que queria mais, muito mais. Apesar de perceber zero deste mundo dos comics, aconselho este Patient EV-136 a qualquer leitor: é uma história interessante, as ilustrações valem a pena, de leitura fácil e que vos vai deixar a suspirar pelo volume seguinte.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.