Top Ten Tuesday #59

agosto 30, 2016

Imagem daqui

10 livros que me marcaram enquanto estudava

O TTT desta semana é um freebie de regresso às aulas. Tendo em conta as sugestões deixadas, acabei por adaptar para este tema. Apesar de o gosto da leitura ter estado presente desde que me recordo, a verdade é que algumas leituras do meu tempo de estudante marcaram-me, umas, moldando-me, outras, apenas como a memória de uma boa história.

A Filha da Floresta  (Trilogia de Sevenwaters, #1)
1. A Filha da Floresta, de Juliet Marillier.

Preciso de dizer mais? Este livro de Juliet Marillier define a minha leitura ainda hoje em dia.

Sangue e Ouro
2. Sangue e Ouro, de Anne Rice.

Tal como Juliet Marillier, este livro de Anne Rice, o primeiro que li seu, define-me também.

O Estranho Caso do Cão Morto
3. O Estranho Caso do Cão Morto, de Mark Haddon.

Teria de reler o livro - algo que pretendo fazer ainda um dia - para poder dizer o que me marcou tanto nele. A verdade é que o fez, pois nunca mais me esqueci da história e lembro-me que gostei mesmo muito.

A Papisa Joana
4. A Papisa Joana, de Donna Woolfolk Cross.

Outro livro que me ficou gravado, talvez pela sua história controversa.

Harry Potter e a Pedra Filosofal (Harry Potter, #1)
5. Harry Potter e a Pedra Filosofal.

Eu comecei a ler Harry Potter quando tinha a idade do protagonista - portanto, foi fácil crescer com as personagens e sonhar com Hogwarts.

The Hobbit
6. O Hobbit, de J.R.R. Tolkien.

Foi o primeiro livro que li do autor e que me fez gostar verdadeiramente de si, e não gostar apenas por ter criado o fantástico universo de O Senhor dos Anéis.

Resultado de imagem para romeu e julieta livro em prosa
7. Romeu e Julieta, de Shakespeare

Li uma versão adaptada, em prosa, da história. Mas isso fez-me ficar com o bichinho tanto do génio literário como dos clássicos.

Vamos aos que me marcaram pela negativa?

Onze Minutos
8. Onze Minutos, de Paulo Coelho.

Li para uma aula e, se gostava pouco de Paulo Coelho antes, então este livro consolidou a minha opinião. O facto de me ter valido uma discussão brutal com a professora de Literatura Portuguesa também não abona muito a seu favor.

A Praia do Destino
9. A Praia do Destino, de Anita Shrieve.

Este livro confirmou-me que eu não fui feita para romances cor-de-rosa demais.

Resultado de imagem para nicholas sparks
10. Qualquer livro de Nicholas Sparks.

Sim, sim, é o meu ódio de estimação. Mas eu li bastantes livros dele - na altura não havia dinheiro para comprar livros e uma colega minha, que o adorava, lá me emprestava para ler. Era o que havia! Ao menos, posso dizer sem peso nenhum na consciência que não gosto, sabendo do que falo!

E vocês, que leituras ficaram convosco do vosso tempo de estudantes?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.