domingo, 11 de setembro de 2016

Dançando Sobre Vidro, de Ka Hancock - Opinião [Marcador]

Dançando Sobre Vidro
Título: Dançando Sobre Vidro
Título Original: Dancing on Broken Glass
Autora: Ka Hancock
Editora: Marcador
Ano de Publicação: 2016
Páginas: 368

No que, à partida, parecia um romance cor-de-rosa demais, Dançando Sobre Vidro revelou-se uma bela surpresa, numa leitura que facilmente se tornou num dos melhores romances de 2016.

A história é sobre Lucy e Mike, uma sobrevivente do cancro da mama e um doente bipolar, que são o amor da vida um do outro. No entanto, com o seu histórico, optam por não ter filhos - e é assim que, numa visita de rotina ao médico, as suas vidas ficam viradas do avesso.
Este livro é simplesmente fantástico. Acompanhamos o dia-a-dia de Lucy e Mike, com incursões frequentes ao passado, com pedaços da sua história, nos melhores e nos piores momentos. A forma como a autora descreve os gestos do casal é bastante carinhosa, fazendo-nos sentir próximos das personagens e a torcer por um final feliz. Acredito que também tem a ver com a altura da nossa vida em que se lê cada livro - se o tivesse lido há um ano atrás, tenho a certeza de que não ia gostar tanto do livro. Sinto que o li na altura ideal, conseguindo sentir fora das suas páginas a realidade de um amor tão grande. Outra das coisas que me agradou foi a forma como Ka Hancock aborda a doença de Mike. Sendo, ou tendo sido, enfermeira, a autora traz-nos uma visão bastante completa e negra do distúrbio bipolar. Pareces bipolar, agora estás bem e depois estás mal, é algo que se costuma ouvir e nem pensamos que é algo mais complexo que uma questão de humores. A doença de Mike é fulcral para o desenrolar da trama, condicionando a maior parte dos acontecimentos relevantes.

O que eu menos gostei neste livro foi da irmã mais velha de Lucy, Priss. Senti que a sua frieza e distância eram completamente desnecessárias, pois pouco ou nada acrescentou à trama, a não ser dores de cabeça. Não precisava de ser um doce como Lily, mas também tanto mau feitio era desnecessário.

E... chorei. Reparem, eu devorei o livro e, chegada àquele ponto, chorei e muito. Era de esperar, apesar de haver sempre uma pequena esperança era expectável, e eu chorei como há muito não chorava a ler um livro. Das leituras com mais sentimento do ano!
Esperava, no entanto, mais do fim. A história é demasiado trágica e o fim é demasiado brutal para algumas das personagens, o que me levou a desejar um desfecho um bocadinho mais suave e feliz, sobretudo para Lily e Ron.

É extremamente raro dedicar livros em pessoa, mas Dançando Sobre Vidro fugiu à regra. Recomendo, volto a recomendar e repito: uma leitura emotiva e um dos melhores romances de 2016!

"Quando a beijei por puro divertimento, e ela me beijou de volta, penso que a reconheci de uma forma cósmica qualquer, como uma parte de mim que eu não sabia que faltava."

4 comentários :

  1. Já estive c este livro debaixo de olho imensas vezes.. mas deixei-o sempre de lado. No entanto, depois de ler a tua opinião fiquei com vontade de o ler.. basicamente devido à forma apaixonada com que falaste da história. Obrigada pela tua opinião, conseguiste convencer-me :)

    * Blog mary red hair *

    *Canal mary red hair*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada eu pelo teu comentário querida Mary :)

      Um beijinho muito grande!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Sempre às ordens! :)

      E obrigada eu pela oportunidade =D

      Eliminar

Obrigada por comentares :)