Top Ten Tuesday #61

outubro 11, 2016

Imagem daqui

10 livros que leste porque te foram recomendados

É muito, muito, muito raro ler de facto algum livro que me é recomendado. Posso ficar com ele na ideia mas depois, na prática, acabo sempre por meter os meus gostos à frente.

Twilight (Twilight, #1)CarmillaO Diário da Nossa PaixãoEusébio MacárioA Era Dourada (A Era Dourada, #1)ZEspada que Sangra (Histórias Vermelhas de Zallar, #1)Six of Crows: Sangue e Mentiras (Six of Crows, #1)Teremos Sempre ParisAlgumas Crónicas

1. Twilight, de Stephenie Meyer
2. Carmilla, de Sheridan Le Fanu
3. O Diário da Nossa Paixão, de Nicholas Sparks
4. Eusébio Macário, de Camilo Castelo Branco
5. A Era Dourada, de Pedro Cipriano
6. Z, de Manuel Alves
7. Espada que Sangra, de Nuno Ferreira
8. Six of Crows - Sangue e Mentiras, de Leigh Bardugo
9. Teremos Sempre Paris, de Ray Bradbury
10. Algumas Crónicas, de António Lobo Antunes

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.