Livros para Filmes - Natal #1

dezembro 01, 2016


Call Me Mrs. Miracle (2010) - Debbie Macomber
Call Me Mrs. Miracle (2010) - Michael M. Scott

Call Me Mrs. Miracle (Angelic Intervention #8)

Este Natal, Emily Merkle (conhecida como Mrs. Miracle) está a trabalhar no departamento de brinquedos da Finley, na última loja da família em Nova Iorque. E o seu patrão é nada mais nada menos que Jake Finley, o filho do dono.
Para Jake, as recordações desta época de presentes com embrulhos brilhantes, árvores decoradas e família foram destruídas por uma tragédia que aconteceu na véspera de Natal há anos. Agora, o Natal significa apenas uma coisa, para si e para o seu pai - lucro. Porque o que eles precisam é mesmo de um milagre de Natal para manterem o negócio à tona.
Holly Larson também precisa de um milagre. Ela quer dar ao seu sobrinho de oito anos, Gabe, o Natal que ele merece. O irmão de Holly, viúvo, está no exército e não voltará a casa no Natal, mas pelo menos ela espera poder comprar o brinquedo da Finley que Gabe tanto quer.
Felizmente, a Mrs. Miracle está a caminho. O que mais gosta é de fazer as crianças felizes e ajudar os outros - e isso inclui ser um pouco casamenteira. Este Natal vai ser diferente - para todos.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.