[Maratonas Literárias] Carnaval-a-Thon: Resultados

março 02, 2017

Foto de Elsa Esteves.

Já tinha feito o ponto de situação desta maratona mais ou menos a meio da mesma, e podem ler aqui como estava a correr. Agora que já acabou, posso dizer que correu bem. Não foi perfeito, pois faltou-me acabar um livro que fazia parte de duas categorias (que é logo metade!), mas li bastante, e li livros fora das categorias, o que acabou por contribuir para não acabar a TBR.

Corações na Escuridão: comecei e terminei - 160 páginas
Crooked Kingdom: acabei de ler - o número de páginas é um mistério, pois a aplicação que eu uso para ler epubs aumenta drasticamente quantas páginas cada livro tem
Coraline: comecei e terminei - não sei o número de páginas
The Kitchen Boy: comecei e terminei - não sei o número de páginas
Príncipe Lestat: li mais 99 páginas, logo, como podem perceber, foi este o menino que não me permitiu ter uma maratona 100% impecável

Resultado de imagem para corações na escuridãoResultado de imagem para crooked kingdomResultado de imagem para coraline livro
Resultado de imagem para os últimos dias do romanov robert alexanderResultado de imagem para principe lestat

Continuo com a leitura de Príncipe Lestat pois, apesar de estar a ser uma leitura muito lenta, está a ser uma leitura muito boa.

E a vossa Carnaval-a-Thon, como correu?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.