Maratonas de Abril

maio 02, 2017

Então, Abril foi o mês das maratonas! Maio será, de longe, bem mais calmo 😎 Vamos aos resultados?

Maratona Literária Especial de Páscoa No Conforto dos Livros


Havia 3 categorias obrigatórias nesta maratona:

1. Visita à madrinha (um livro “bem vestido”, de capa bonita) - Hogwarts: Um Guia (Im)perfeito e (Im)preciso, de J.K. Rowling ✔
2. Folar (um livro que tenhas recebido recentemente) - Carmilla, de Sheridan Le Fanu ✔
3. Ovo surpresa (um livro que te tenha sido aconselhado) - Reiniciados, de Teri Terry ✔

Portanto, consegui cumprir na perfeição esta maratona, o que me encheu de orgulho 😊

Pré-Maratonas Dewey's

Houve 3, mas eu apenas participei em duas delas. Na primeira, o objectivo era lermos duas horas durante um espaço de 24 horas. Eu consegui, mas muito à rasquinha.
Na segunda, falhei completamente. O objectivo era ler 24 horas no espaço de uma semana. Eu acho que nem 12 consegui...

Dewey's

Estava super entusiasmada com o Dewey's, como penso que deu para notar! Mas, mais uma vez, correu mal. Apenas consegui fazer algumas horas e, apesar de ter conseguido acabar dois livros e fazer alguns dos mini-desafios, queria ter conseguido passar mais umas horas com os livros.

Falhei totalmente a Spring Into Horror! No próximo mês trago-vos o balanço da Celtic-a-Thon 😉

Assim sendo, aqui fica a lista das leituras de Abril:

1. Reiniciados, de Teri Terry
2. Hogwarts: Um Guia (Im)perfeito e (Im)preciso, de J.K. Rowling
3. Carmilla, de Sheridan Le Fanu
4. Fragmentada, de Teri Terry
5. Coroa da Meia-Noite, de Sarah J. Maas
6. A Canção de Tróia, de Colleen McCullough
7. Amor Impossível, de E.L. Woods

Visto assim, fico um bocadinho mais contente com as leituras de Abril... as maratonas podem não ter sido o que eu esperava mas, mesmo assim, foi sem dúvida um bom mês!

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.