segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Amor Impossível, de E.L. Woods - Sinopse & Opinião [Chiado Editora]

Amor Impossível
Título: Amor Impossível
Autora: E.L. Woods
Editora: Chiado Editora
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 298

Melise perdera os pais e o irmão de uma só vez e não havia outra saída a não ser ir embora para sempre, antes que o herdeiro daquele lugar que fora o seu lar durante toda sua vida chegasse. Estava a caminho de Kinsley House, em Hamptonshire, onde seria a preceptora da filha de Andrew Clark, um viúvo que não acreditava no amor genuíno entre um homem e uma mulher. Quando chegou e teve um vislumbre da beleza daquelas terras Melise pensou que poderia ser feliz novamente. Mas não contava se apaixonar pelo lindo patrão. Poderia esconder esse amor daquele que, aos olhos de toda uma sociedade, era proibido para ela e que não tinha a menor intenção de casar novamente?

***************

Com uma aura a evocar Jane Austen, este romance já me andava a piscar o olho há algum tempo. Embora desconhecendo tudo e mais alguma coisa acerca do livro, parti para a leitura de Amor Impossível com mais expectativas do que deveria.

A história gira em torno de Melise que, após um infortúnio do destino, se vê sozinha no mundo e é obrigada a aceitar um trabalho como preceptora, apenas para se render aos encantos da criança e se apaixonar perdidamente pelo pai (convenientemente) viúvo. E Melise é uma moça cheia de personalidade, capaz de escandalizar aquela sociedade que hoje vemos como retrógrada. Muito Austeniano, não é? Sim, é. Mas é tudo. Infelizmente, a história não passa disto: a Melise ama perdidamente o Andrew mas não o confessa porque ele é o seu patrão; e Andrew ama perdidamente Melise mas não o diz, ora porque não é bom com palavras, ora porque a sociedade ia condenar a relação. E é isto. O livro todo.

Eu gostei da história, gostei da forma como foi contada, mas sinto que era preciso muito mais, não 300 páginas de um livro sempre a falar da mesma coisa.

E serei eu a única pessoa a achar estranho o facto da criança chamar mãe a Melise, embora a conheça há pouco tempo e não ser uma criança propriamente de colo? Havia, de facto, muito espaço para deixar a história crescer e aprofundar-se um pouco mais. Só ia enriquecer esta história de amor interdito e dar-lhe um impacto muito maior.

Gosto do mistério à volta da autora, E.L. Woods, que usa apenas as iniciais e o apelido. É sempre aquele toque especial que nos deixa com a pulga atrás da orelha. Depois de ler sobre si, percebo um pouco melhor a simplicidade deste romance, mas gostaria de verdade de ter visto algo mais complexo.

Para os leitores que procuram uma história de amor simples, leve, romântica e sonhadora, então Amor Impossível é a escolha ideal - o meu único problema é que eu esperava muito mais.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Obrigada por comentares :)