Top 5 Wednesday #1

março 07, 2018

Imagem relacionada

Bem vindos à nova rubrica do Eu e o Bam :)
Começo numa boa semana, em que o tema é à escolha do freguês. Vou dar uma vista de olhos aos tópicos passados e vamos lá embarcar em mais uma aventura.

5 autores que nunca li
(e quero mesmo ler!)

Resultado de imagem para a seleção marcador editoraResultado de imagem para brandon sanderson livrosResultado de imagem para patrick rothfuss rosaResultado de imagem para o monte dos vendavais livrosResultado de imagem para outono em pequim boris vian

1. Kiera Cass. Quero mesmo muito ler esta autora.
2. Brandon Sanderson. Passo a vida a ouvir falar maravilhas deste autor mas a verdade é que nunca li nada seu.
3. Patrick Rothfuss. Outro exemplo de que toda a gente adora e eu nunca li.
4. Emily Brontë. Estou há demasiado tempo para ler Wuthering Heights 😔
5. Boris Vian. Há anos que me disseram que seria um autor que eu iria adorar mas a verdade é que, até hoje, nunca li nada seu.

E então, o que acham da minha lista? Partilham de algum destes nomes ou simplesmente acham uma vergonha algum deles constar aqui? 😛

E espero que gostem deste novo espaço, à partida será semanal, o que posso dizer... eu gosto de listas 💓

You Might Also Like

2 comentários

  1. O Monte dos Vendavais é maravilhoso❤

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que sim, e provavelmente é dos livros mais antigos que tenho para ler, mas está simplesmente ali :/

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.