Top Ten Tuesday #74

março 27, 2018


10 livros que se passam noutro país

Tendo em conta que é raro ler livros cuja acção se desenrola em Portugal, o tópico desta semana é muito fácil para mim. Assim sendo, vou-lhe dar um pequeno toque pessoal: vou ver os últimos livros que li e escolher 10 países diferentes. Vamos passear?

Árvore da mentiraTash e TolstóiVermelho Como o Sangue

1. Inglaterra
2. Estados Unidos da América
3. Finlândia

CarmillaOs Últimos Dias dos RomanovO Rei de Ferro e a Rainha Estrangulada (The Accursed Kings, #1)

4. Áustria
5. Rússia
6. França

Resultado de imagem para a casa do boticarioO Rapaz do Pijama às RiscasA Papisa JoanaA Insustentável Leveza do Ser

7. Holanda
8. Alemanha
9. Itália
10. Republica Checa

Isto faz-me lembrar um desafio que já pensei em fazer várias vezes, relacionado com ler um livro de cada país do Mundo... será que um dia me vou aventurar?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.