[Novidades] Chiado Editora | Junho 2018

junho 02, 2018


Com vários títulos, em Junho a Chiado começa por apostar em quatro das suas colecções. Dentro das Viagens na Ficção, temos Pais Brilhantes Filhos BrilhantesHistória Comentada da Vida Dela, Macário, Passado Esquecido, O Empreendedor e a Espiritualidade, O Prisioneiro Português em Marrocos (vol. I), Olhares na Memória, No Mar e na Terra (vol. IV), Um Deus Desfeito no Mar, Escritos no Silêncio, Baloiço e Para Além do OlharManual do Comportamento Incendiário, O Que É A Matéria? e Contributo para o Estudo do Poder Disciplinar no Direito da Função Pública são as três novidades da Compendium. Para os fãs da poesia, a Prazeres Poéticos está recheada: Olhos nas LetrasO Amanhecer dos Sentidos (Na Refulgência do Olhar), Entre a Montanha e o Mar, Pensamentos AleatóriosChocolate, Pimenta e Cuequinhas de Renda, Enlace, A Ponte entre o Sentimento e a Poesia e Perspectives in Mind, este último em Inglês. Por fim, Palavras Soltas tem acrescentado ao seu catálogo os livros Sorri, Chora mas Vive!, AssinadoA Força dos Emigrantes e Meditações Guiadas para Pais e Filhos.

Podem saber mais acerca de cada um destes meninos ao clicar na imagem deles, e serão reencaminhados para as suas páginas.

Deste primeiro leque de novidades, a que mais me chama a atenção é, definitivamente, Macário. E a vocês? Planeiam ler algum destes?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.