Actualidades

janeiro 27, 2013


Ainda sou nova nestes mundos, é verdade, mas ou é impressão minha ou de há uns tempos para cá tem sido cada vez mais posto em causa o blogger?
Já me expressei acerca disso, e sinceramente não me apetece debater mais o tema, pois cada qual com a sua opinião e é assim que nos entendemos. Já li as opiniões de vários bloggers, já li reportagens acerca disto (como a do Notícias Magazine de hoje), e a sério que estou cansada deste debate... Pronto, só queria dizer isso!
Aproveito também para falar da crítica que fiz a Eusébio Macário. É completamente diferente das críticas que fiz anteriormente, pois ainda estou a tentar definir o que por aqui anda. No entanto apercebi-me que as minhas anteriores opiniões não valiam de quase nada, gostei por causa disto, e isto está mal... e quando criei o blog, era para dar opiniões a sério e não um simples gostei porque...! Portanto nas críticas futuras já vai haver mais desenvolvimento, e, do meu ponto de vista, mais interesse. Correndo o risco de se tornarem, quem sabe, longas demais, então é porque tenho muita coisa a dizer sobre o livro, e não é com medo de que vocês aí não leiam por ser muito grande que vou deixar de o dizer. Com tudo isto, espero que gostem :)

quem não quer passar uma tarde a ler aqui?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.