Compromisso, de Augusto Canetas - Saber Mais

janeiro 23, 2013



 "Compromisso"



A melhor sinopse que encontrei deste livro está precisamente no prefácio do mesmo, a cargo de Vasco Moreira:

"Laurinda é uma jovem bela e sonhadora, que se vê abruptamente despertada para um mundo de relações que não entende perfeitamente e que a leva, na sua ingenuidade, a sentir-se grávida do padre só por este a ter beijado. Este episódio, porém, é apenas semente, de um caminho de abismos que atraíra aquela menina, a sua mãe, Maria da Graça, e o padre António. A falta de vocação deste último e a hipocrisia darão um forte contributo à sequência trágica.
Paralelamente e como complemento, a infernal guerra colonial, no denominado ultramar português mostrará como foram sacrificados tantos jovens e suas famílias, (...)"


Augusto Canetas, é o pseudónimo de José Augusto Faria da Costa, nascido a 31 de Outubro de 1945, em Barroselas, Viana do Castelo. Frequência do Antigo Liceu, partiu para Angola como fuzileiro especial da Marinha em 1967 até 72. Empresário pioneiro no sector audiovisual - vídeo, trabalhou ainda ligado à indústria editorial e publicidade. Residiu grande parte da sua vida em Vila Nova de Famalicão, berço da esposa e seio dos seus dois filhos. Passou uma breve estância em Paris, período fértil marcado principalmente pela composição e interpretação de temas musicais. Após a publicação do seu primeiro livro - Flashes, em 2001-, Augusto Canetas tem-se dedicado plenamente à literatura, sendo a sua obra constituída por diferentes géneros literários, dos quais se destacam a poesia, a prosa e o romance. Durante os últimos anos, a sua participação em diversas actividades pedagógicas na colaboração com Escolas Secundárias do Norte do País, para além de enriquecer a sua experiência na divulgação do seu trabalho como escritor e cantautor tem também contribuído para a divulgação da obra de grandes mestres da Literatura Portuguesa, como Fernando Pessoa ou Miguel Torga.

Podem seguir o autor aqui

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.