Desafio Literário

janeiro 28, 2013



Preciso de sugestões de autores começados com a letra D... Alguém me ajuda?



You Might Also Like

6 comentários

  1. Hmmm...depende dos gostos mas aqui vão algumas sugestões de autores que li e gostei:
    - Daniel Silva (thrillers)
    - David Anthony Durham (fantasia)
    - Donna Leon (policial)
    - Dorothy Koomson (romance)
    - Douglas Preston (escreve policiais/thrillers com outro autor - Lincoln Child)

    Espero que tenha ajudado :P

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Mónica! Ajudaste de certeza, já é bem mais do que eu tinha conseguido pensar :) Muito provavelmente será um desses autores! ^^

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. De nada ;) Ainda bem que pude ajudar! x)
    Já agora aproveito para dizer que gosto muito do que já explorei do teu blog e que o teu gatinho é super fofo ^^

    Beijinhos e boas leituras! ;)

    ResponderEliminar
  4. Olá.. cá estou eu a espreitar :) E a deixar mais alguns para a lista...

    Começo com um duplo D... Don DeLillo, passo para um português, David Mourão Ferreira, depois para uma senhora, Doris Lessing, e cito ainda mais alguns que estão na minha wishlist, David Soares, David Vann e Dulce Maria Cardoso.

    Agora o difícil vai ser decidires :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelas tuas simpáticas palavras Mónica :D

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  6. Já estava quase decidida, agora vai ser ainda mais difícil :) Hehehe obrigada Nefertari!

    Beijinho

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.