A Ler: Casanova Revisitado, de Susan Swan, pela Editorial Estampa - Sinopse

março 06, 2013


Título: Casanova Revisitado
Título Original: What Casanova Told Me
Autora: Susan Swan
Editora: Editorial Estampa
Ano de Publicação: 2007
Número de Páginas: 254

Ano de 1797. Casanova regressa a Veneza, sob disfarce, após a sua fuga das prisões da cidade. Aí encontra Asked For Adams, educada no puritanismo, vivaz e culta, que viaja com o pai. Napoleão invade a região do Veneto. Casanova convence Asked For a abandonar um futuro como mulher de um fazendeiro do Novo Mundo e a partir com ele numa demanda romântica através da Grécia até Istambul, que ela regista num diário de viagem. A relação acaba subitamente.
Duzentos anos mais tarde, Luce, descendente de Asked For, após a morte da mãe, toma posse do diário. Em viagem para Creta, leva a missão de entregar as cartas de Casanova, autenticadas por um perito de Harvard, pertencentes à família, a uma biblioteca de Veneza. Lendo o diário, cai no encontro dos dois aventureiros e decide descobrir o que acabou por lhes acontecer, empreendendo a mesma viagem por Veneza, Grécia e Turquia. Pelo fio que entrelaça as duas histórias, paira o espírito de Casanova, livre, inteligente, aberto aos rumos imprevistos da vida, iniciando a descoberta de novos mundos, da liberdade, do espírito criativo, da perda e do que com ela se ganha, e do amor.
Com uma sensualidade elegante, Susan Swan, com base nas memórias de Casanova, cria um romance exótico, de prosa belíssima que toca a poesia, aliando mito e lenda. Casanova Revisitado ilustra a misteriosa influência do passado no presente, celebrando o inesperado na vida e no amor, a alegria do prazer e da liberdade e o poder transfigurador da viagem. O mistério do último grande amor de Casanova serve de pano de fundo.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Olá,
    adorei sua resenha, me convenceu em ler esse livro, é só saber se tem por aqui :D.
    Qualquer livro sobre Casanova me atrai, o personagem me atrai a época em q ele viver, tb me atrai, é...acho q vou gostar desse livro :D
    Te mandei um e-mail espero q me responda, estou aguardando v lá no meu blog, certo?
    Abraços e boas leituras!

    ResponderEliminar
  2. Olá!

    Então és como eu, qualquer coisa com o Casanova chama-me a atenção :) Já leste o Carnaval em Veneza? Falo dele algures aqui no blog, um dos meus primeiros posts!

    Já lá fui, já conhecia o teu blog, e também já respondi ao e-mail! Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.