[DESAFIO LITERÁRIO MARÇO] Gosta de Música, Gosta de Dançar, de Mary Higgins Clark - Sinopse

março 02, 2013


Título: Gosta de Música, Gosta de Dançar
Título Original: Loves Music, Loves to Dance
Autora: Mary Higgins Clark
Editora: Reader's Digest
Ano de Publicação: 1992
Número de Páginas: 129

Erin Kelley e Darcy Scott, grandes amigas desde o tempo da Faculdade, fixaram-se em Nova Iorque em busca de uma carreira profissional de sucesso. Erin começa a distinguir-se como desenhadora de jóias, e Darcy enceta uma promissora carreira de decoradora de interiores.
Por brincadeira, as duas jovens combinam ajudar uma outra amiga nas pesquisas para um documentário acerca do tipo de pessoas que colocam e respondem a anúncios pessoais. Ao princípio, tudo parecia divertido e inofensivo.
Até que, em dia, Erin desaparece. Pouco tempo depois, o seu corpo é encontrado numa doca abandonada de Manhattan. Num dos pés calça o seu próprio sapato; no outro, um sapato de baile.
Darcy sente-se culpada pela morte de Erin e decide descobrir o assassino. O que ela não sabe é que ele já decidiu quem será a próxima vítima...


Já tinha este livro na lista para ler há algum tempo, e aproveitei o Desafio Literário de Março para o fazer. Já ouvi comentários sobre este livro bastante interessantes, nomeadamente ser muito sinistro e mórbido... Vamos ver se sempre o vejo assim!

Obs.: a edição que estou a ler não é a que está na imagem, mas a capa era mais bonita, o que estou a ler está integrado num livro com mais três títulos, podem vê-lo aqui)

You Might Also Like

1 comentários

  1. Ois,

    Apenas li um livro desta escritora e deu para ver que é muito boa em policiais, adorei ;)

    Bjs

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.