Um Conto, Um Ponto #16: A Noiva, de Vitor Emmanuell

março 02, 2014

A Noiva (Portuguese Edition)
Título: A Noiva
Autor: Vitor Emmanuell
Editora: -
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 11

UM CASAMENTO. UM BEIJO. UMA TRAIÇÃO. Neste Conto, Amanda Silva está prestes a se casar com o homem de sua vida. Uma sensação angustiante toma a garota. Ela percebe que realmente não o ama, que ele é apenas seu melhor amigo. Ao conhecer Vinícius nas vésperas de seu casamento, o cozinheiro engraçado, bonito e tentador, Amanda acaba por entender que o amor não possui limites e que um novo amor pode se iniciar diante de uma discussão

*********************

Li este conto para a Maratona Literária, por ser um autor do Brasil e um livro pequeno. Gostei muito da capa, e a sinopse pareceu-me interessante, portanto pensava que tinha feito uma boa escolha.
Depois de ler... arrependi-me dessa escolha. Apesar da reviravolta final ser muito bem pensada e inesperada, o conto em si não é nada demais. Falta qualquer coisa na escrita, qualquer coisa mais... não sei bem a palavra que hei-de utilizar, algo mais mágico, mais literário. É tudo muito corriqueiro. O desenvolvimento não é mau, mas só é salvo pela reviravolta que mencionei antes, senão era mais do mesmo, como podem perceber pela sinopse. Penso também que merecia mais umas páginas, pois havia mais alguns aspectos que podiam ter sido explorados. As pequenas falhas temporais que me dei conta durante a leitura são recompensadas pelo final, que justifica essas falhas.
Foi interessante conhecer este conto pelo aspecto de ser um autor do qual nunca tinha ouvido falar e que nem sei se tem mais alguma obra disponível. Para o caso de ter, gostaria de ler, para saber se este conto não foi uma escorregadela de criatividade, ou se é precisamente a assinatura do autor.

Podem encontrar o blogue de Vitor Emmanuell aqui.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.