Maratonas Literárias Viagens (In)Esperadas: Desafios & Balanços

agosto 31, 2014


Hoje chega ao fim mais uma Viagem (In)Esperada, e penso que pouco irei ler das horas que restam de Domingo, portanto aproveito para fazer já o balanço desta pequena maratona. E, claro, os desafios! :)

DESAFIO 1

Quais são os ingredientes que um livro tem de ter para que o consideres uma “comfy reads”.

Tal como o nome indica, para mim tem de ser um livro confortável, dentro do género que eu gosto. Estou numa fase em que tudo o que leio, basicamente, pode ser inserido numa comfy read, pois como desisti de desafios literários que me levavam por vezes fora da minha esfera, posso considerar as minhas leituras seguras e confortáveis. Autores que eu aprecie, ou temas que gosto, bastam-me para uma comfy read.

DESAFIO 2

Uma “comfy read” vai bem com… (Indica-nos algo que torne a tua leitura ainda mais apetecível - pode ser uma música, uma bebida, um snack…)

Preguiça e tempo! A verdadeira comfy read, para mim, tem de ser na mais absoluta paz e sossego, sem ter de estar preocupada com horas, porque tenho de fazer algo ou algum sítio onde ir. Saber que vou estar um bocadinho sem ninguém me interromper a leitura, sem limitações de tempo... *comfy* De preferência sem música, pois gosto de ler em silêncio, e não gosto de comer nem beber enquanto leio... Mas pronto, para completar o quadro, um chá ou um chocolate sabem sempre bem!

DESAFIO 3

Há algum género literário em que te sintas mais à vontade para ler?

Fantasia e romance histórico, são desde sempre os meus favoritos. Ultimamente tenho-me virado muito para a literatura russa, aliás, para clássicos, e começo realmente a ficar viciada neles.

DESAFIO 4

Indica um aspecto que possa estar presente num livro que torne a tua relação com ele aborrecida.

Histórias estúpidas e sem sentido, ou demasiado melosas. Personagens que me enervem profundamente. Tirando isto, não sou muito esquisita...

BALANÇOS

A minha única meta era conseguir ler A Dama de Espadas, de Puskine, mas consegui lê-lo entre Sexta e Sábado, portanto tive de acrescentar mais um livro aos planos. E sendo comfy read... fui para a minha querida Juliet Marillier, com A Filha da Profecia.

A Dama de Espadas: 73 páginas
A Filha da Profecia: 84 páginas

O que dá o fantástico total de 157 páginas. Loucura :)

Até à próxima maratona!

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.