Top Ten Tuesday #23

agosto 12, 2014

Imagem daqui

10 livros que não tenho a certeza de querer ler

1. As Cinquenta Sombras de Grey. Tenho alguma curiosidade, mas tudo o que este livro trouxe... ainda não sei.

2. O Herdeiro de Sevenwaters e restante saga. Quero muito ler estes livros, mas por outro lado... e se estragam toda a magia que Sevenwaters me trouxe?

...

Sinceramente, não me lembro de mais nenhum. Todas as hipóteses que me ocorreram irei ler, mesmo que não seja já, mesmo que seja daqui a uns anos... Irei ler. E vocês, que títulos acrescentariam a esta lista?

You Might Also Like

2 comentários

  1. lol

    Dificil questão sem duvida, se não li não sei se são bons, quem me diz a mim se não seria capaz de ver aspetos positivos no livro As Cinquenta Sombras de Grey ? Só lendo eehe

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, mas mesmo assim... não tenho a certeza não :P

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.