Top Ten Tuesday #24

agosto 19, 2014

Imagem daqui

10 livros que tenho mesmo de ler

Este TTT não se trata de livros que eu quero muito ler... mas sim que foram recomendados várias vezes por outras pessoas. Aqui ficam alguns títulos!

1. A Cidade e as Serras, de Eça de Queiroz

2. Uma Família Inglesa, de Júlio Dinis

3. A Saga do Assassino, de Robin Hobb

4. Qualquer livro de Bernard Cornwell

5. Qualquer livro de Juliette Benzoni

6. O Terror, de Dan Simmons

7. Qualquer livro de Guy Gavriel Kay

8. Fausto, de Goethe

9. Qualquer livros de Boris Vian

10. A Tragédia da Rua das Flores, de Eça de Queiroz

E vocês, que recomendações vos deixam ansiosos?

You Might Also Like

4 comentários

  1. Dos que referiste também quero ler os do Eça, o 2,6,7 e 9:)
    Alguns já tenho na minha estante...preciso então de começar!
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Ois,

    Tens ai excelentes escolhas, tens mesmo que dar oportunidade :D

    Se respondesse tambem tinha várias coisas, os novos da Juliet Marillier, da Robin Hobb, Jacqueline Carey, Scott Lynch e muitos outros, mas infelizmente alguns deles não estão publicados por cá :(

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E olha que alguns são recomendações tuas amigo :)

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.