Top Ten Tuesday #31

dezembro 02, 2014

Imagem daqui

10 melhores autores que conheci este ano

Sim, este TTT é da semana que vem, mas não me interessa muito o tema desta semana e como nas duas últimas semanas não vai haver esta rúbrica, pronto... vamos adiantar!

1. Carina Portugal, praticamente tudo desta rapariga!

2. Keri Arthur, com a sua trilogia A Damask Circle

3. Yasmina Khadra, que me surpreendeu com o seu livro Os Anjos Morrem das nossas Feridas

4. John Boyne, adorei os dois livros que li seus

5. J.M. Darhower, com um dos melhores romances que li nos últimos tempos, Sempre

6. Mary Shelley, um clássico!

7. Maurice Druon, o mais recente, com os primeiros volumes de Os Reis Malditos

8. Humberto Oliveira, com um livro de contos fantástico, Um Eterno Minuto de Silêncio

E... lamento não poder concluir a lista, mas não posso ser hipócrita apenas para a completar. E está sem ordem de preferência, apenas me baseei na ordem da lista de leituras!

E vocês, alguns novos autores que vos tenham marcado este ano?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Bem, acho que poucos conheço daí... alguns dos meus foram david levithan, patrick ness, neil gaiman :)

    maryredhair.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li Neil Gaiman no ano passado, e gostei... agora ainda tenho um para ler, que me parece bastante interessante!

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.