Top Ten Tuesday #33

dezembro 16, 2014


10 melhores livros que li em 2014

Mais uma vez, o TTT está adiantado, mas como será o último do ano, está na hora de fazer o meu top 2014!

1. Começado já a fazer batota, todos os livros da série As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley.
2. Sempre, de S.M. Darhower
3. O Palácio de Inverno, de John Boyne.
4. Frankenstein, de Mary Shelley.
5. Não poderia deixar de mencionar O Filho das Sombras e A Filha da Profecia de Juliet Marillier, que estão sempre nos tops.
6. A Muralha de Gelo, de George R.R. Martin.
7. Ponte de Sonhos, de Anne Bishop.
8. O Rei de Ferro e a Rainha Estrangulada, de Maurice Druon.
9. O Vampiro Lestat, de Anne Rice.
10. Hemlock Grove, de Brian McGreevy.


You Might Also Like

4 comentários

  1. Ois miga,

    Bem excelente lista, já li alguns e outros servem de recomendação sem duvida.

    Quero ler em 2015 o nº8, mais algum destes é da Marcador ?

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)

      Não, são de outras editoras, mas acho que vais gostar do de Maurice Druon :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Não li nenhum dos livros citados, porém alguns fiquei com vontade só de olhar a capa. Sobre "Hemlock Grove" eu conheço a história do seriado, que aliás me da uma agonia das boas com aquela transformação do personagem em lobo.

    Blog | Paixonites Literárias
    Promoção no blog. Te convido a participar! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O livro é tão estranho quanto a série! :)

      Obrigada pelo convite, mas eu não tenho morada no Brasil ;)

      Beijinhos e obrigada pela visita ^_^

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.