365 Dias de Livros #2

janeiro 02, 2015

Há uns anos atrás, o meu maior sonho era abrir uma pequena chocolataria, qual Vianne Rocher do livro Chocolate. Para além de adorar chocolate, a ideia de ter uma casinha destas na margem de Helsínquia seduzia-me mais do que qualquer coisa (sonhar não paga imposto).


Quem consegue resistir a colocar na boca um pedaço de chocolate, fechar os olhos, deixá-lo derreter lentamente na boca e usufruir assim de um momento de prazer único? Protagonista de filmes ou objecto de extensos tratados académicos, o chocolate desperta paixões em todas as culturas e todas as idades.

Pela mão de uma especialista em cozinha e nutrição, este livro apresenta os segredos deste delicioso manjar, das suas origens lendárias às receitas mais bem guardadas da doçaria internacional:

- A história do chocolate e a sua expansão pelo mundo
- A forma de preparar chocolate em dez passos
- Os seus benefícios para a saúde física e mental e para a actividade sexual
- As melhores receitas de cozinha internacional


Delicioso, eu sei... lembram-se de eu ter falado de uma das minhas paixões ser a culinária e livros de receitas? Este é dos que eu tenho e mais gosto... Aliás, no Natal de há uns anos atrás três pessoas diferentes ofereceram-me este livro. Acabei por dar dois deles, pois não fazia sentido nenhum ter três livros iguais, e por vezes ainda folheio as suas páginas, a pensar quando poderei pôr em prática algumas das suas receitas.


You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.