Vencedores do Passatempo 2º Aniversário e Natal

janeiro 01, 2015


Tenho de confessar que fiquei bastante desiludida com as participações. Não por serem muitas ou poucas, isso não faz diferença... Mas sim pela falta de atenção, da falta de noção nas respostas que recebi.

Só tinham de responder a isto:

Qual é uma das minhas personagens preferidas de sempre?

E dei-vos duas pistas: em 2014 li um livro seu e é masculino. Masculino.

Algumas respostas ainda denotaram alguma atenção, mas falhavam no aspecto masculino da dica. Já para não falar de algumas respostas completamente descabidas...

Como se não bastasse, não houve uma única resposta correcta. Estou a falar muito a sério! Uma única. Mas algumas pessoas responderam com a outra única resposta possível, se não fosse a primeira parte da pista. Assim sendo, a verdadeira resposta era Lestat de Lioncourt. Ninguém acertou, mas várias pessoas arriscaram Dorian Gray e, tendo em conta a situação, decidi aceitar essa resposta.

Assim sendo, os vencedores, escolhidos pelo random, são...


Estes dois livros foram ganhos por Dália Antunes.


Este livro foi ganho por Cristóvão Sousa.

Irei entrar em contacto com os vencedores ainda hoje. Espero que gostem desta pequena prenda para começar o ano. Quanto aos restantes participantes, obrigada pela atenção e fiquem por aqui... Quem sabe mais passatempos não apareçam!

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.