PASSATEMPO [2]

abril 17, 2016


É verdade. Enquanto o passatempo do livro O Aprendiz do Arquimago está quase a acabar (para quem ainda não o fez, podem participar aqui), hoje começa um novo aqui no Eu e o Bam.

Vamos comemorar mais uma meta!
Passamos dos 150 seguidores aqui no blogue.
Obrigada!


O prémio é um exemplar do livro O Amor É Vermelho, de Sophie Jaff. Um muito obrigada à Marcador pelo apoio e por tornar este passatempo possível!

Regras:

O passatempo começa hoje e termina no dia 24 de Abril, às 23h59. Para se habilitarem a ser um dos vencedores, têm de enviar um e-mail para eueobampassatempos@hotmail.com, com o nome do livro no assunto e com os seguintes dados:

Nome
Indicação de como seguem o blogue e/ou as editoras

Por cada "gosto" ou forma de seguir, é mais uma participação.

Exemplo:

Nome: Nádia Batista
Seguidora do blogue: Nádia Batista
Seguidora FB Marcador: Nádia Batista
Seguidora FB Eu e o Bam: Nádia Batista

Ou seja, cada pessoa pode acumular um máximo de 4 participações. Não são obrigados a partilhar o passatempo, mas como podem ver, quanto mais o Eu e o Bam cresce, mais coisas se podem fazer :)
São, no entanto, obrigados a seguir o Eu e o Bam ou aqui no blogue, ou no FB.

Links: FB Marcador | FB Eu e o Bam

Cada pessoa apenas pode participar uma vez.

Boa sorte a todos os participantes.

You Might Also Like

1 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.