Bout of Books 18 - O Adeus

janeiro 11, 2017

Bout of Books
O Bout of Books acabou no Domingo, mas só hoje é que vos trago os resultados. Apesar de ter fugido um bocadinho ao meu plano inicial, acho que ainda assim tive uma boa prestação! Acabei por não fazer nenhum dos desafios, fosse por preguiça ou porque, simplesmente, esperava algo mais criativo e não tão básico.

Plano:

▪️ Começar a ler Príncipe Lestat, de Anne Rice, e talvez intercalar com A Senhora de Shalador, de Anne Bishop

O que eu fiz:

▪️ Comecei a ler A Senhora de Shalador e Perfeitas, de Sara Shepard, assim como acabei de ler Os Hóspedes, de Sarah Waters.

A Senhora de Shalador - 64 páginas
Perfeitas - 192 e-páginas
Os Hóspedes - 306 páginas

Portanto, apesar de ter alterado o meu primeiro plano... gosto dos meus resultados! 😀
E por aí, entre os participantes: como correu o vossos Bout of Books?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.