[Maratonas Literárias] Week Read-a-Thon | Hooked on Books

maio 07, 2018

Começou, no dia 5, mais uma maratona de 8 dias do grupo Hooked on Books, que podem encontrar no Goodreads, aqui. Este read-a-thon não tem qualquer tipo de desafio, apenas ler e aproveitar as leituras. A minha TBR é bastante simples, consiste em três livros que é altamente improvável que eu consiga acabar esta semana mas são os que ando a ler neste momento.

Data: de 5 a 12 de Maio

TBR:

Lobos Que Foram HomensScarlet (Crônicas Lunares #2)A Hora das Bruxas II (Bruxas Mayfair, #2)

Progresso:

05.05 - li Scarlet, mas não tomei nota de quantas páginas foram.
06.05 - nadinha de nada.
07.05 - 
08.05 - 
09.05 - 
10.05 - 
11.05 - 
12.05 - 

Total de Páginas: 

Livros terminados: 

A quem quiser seguir a minha participação, fiquem atentos a este post, que será devidamente actualizado (ou assim espero eu 😆).

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.